quinta-feira, 6 de abril de 2017

Resenha: Victoria e o Patife

.
''Na Minha Estante'' Assegura: A resenha a seguir está completamente livre de Spoilers... Leia sem Moderação e divirta-se!
.
Sinopse:
.
Victoria
.
Crescendo na distante Índia, a jovem e rica herdeira  Lady Victoria Arbuthnot estava acostumada a cuidar de seus próprios assuntos. Aos dezesseis anos, porém, Vicky é despachada sem a menor cerimônia à Londres para encontrar um marido. Entretanto, com sua altivez peculiar, Lady Victoria assume compromisso de noivado com um cavalheiro inglês, antes mesmo de colocar os pés em solo britânico.
.
O charlatão
.
Hugo Rothschild, nono Conde de Malfrey, é tudo que uma garota poderia querer  de um futuro marido: ele é bonito, mundano e rico. Lady Victoria tem tudo exatamente como ela gostaria.  Isso se o desordeiro e jovem capitão do navio, Jacob Carstairs, a deixasse em paz.
.
A intromissão de Jacob é nada menos do que irritante, deixando Victoria intrigada com a sua persistência. Mas quando se torna claro que Lorde Malfrey não pode ser tudo o que professa ser, Victoria é forçada a admitir, pela primeira vez em sua vida, que está errada. Não só sobre o seu noivo, mas sobre a razão por trás da interferência do belo capitão do navio.
.
O que eu achei?
.
Faziam tempos que eu queria ter uma experiência com romance de época, e começar logo com Meg Cabot não foi só muito gostoso como também me fez ver todo um novo lado de uma das minhas autoras favoritas e que eu simplesmente não conhecia.
.
Mesmo sendo narrado em terceira pessoa, em uma linguagem mais rebuscada e em um século totalmente diferente, é impossível não reconhecer todo o estilo da Meg em cada parágrafo. Ao mesmo tempo que são pomposos, os diálogos são fluidos e cheios do humor característico da autora - sem falar que Victoria e o Patife é aquele tipo de livro que, quando você percebe, devorou toda a história em um piscar se olhos.
.
A interação do casal protagonista sempre rende boas risadas, e mesmo que no começo a Victoria tenha se revelado uma personagem mimada, arrogante e um tanto quanto enxerida, com o passar das páginas eu consegui ir me afeiçoando a ela e consegui ver um amadurecimento da mesma durante a narrativa. Outra coisa legal sobre a protagonista é que, este tendo sido um livro já escrito a um certo tempo, dentro de seu conceito histórico, a mocinha é uma mulher bem a frente do seu tempo.
.
Enfim, acho que não deve ser surpresa eu dizer que estou completamente apaixonado pelo gênero. Já tem um bom tempo que um romance não me deixava com o coração aquecido e suspirando de verdade por um casal de protagonista... E Victoria e o Patife trouxe isto de volta para mim. Com certeza quero mergulhar mais no estilo, e mal posso ver a hora de começar o próximo.
.
     
.
Sobre a Autora:
.
Meggin Patricia Cabot, mais conhecida pela abreviação Meg Cabot ou Patricia Cabot ou pelo seu pseudônimo Jenny Carroll (Bloomington, 1 de fevereiro de 1967), é uma escritora estadunidense. 
.
É mundialmente famosa por ser autora de mais de 60 livros, dentre os quais seu maior bestseller é a série de dez volumes O Diário da Princesa. Atualmente Meg vive com seu marido e sua gata de um olho só chamada Henrietta em Nova Iorque.
.
Quando jovem, Meg passava horas a fio lendo as obras completas de Jane Austen, Judy Blume e Barbara Cartland. Munida com seu diploma de graduação em Artes na Universidade de Indiana, Meg se mudou para Nova Iorque, com a intenção de seguir uma carreira de ilustradora autônoma. A ilustração, entretanto, logo cedeu lugar à verdadeira paixão de Meg - a composição literária.
.
TÍTULO: Victoria e o Patife
TÍTULO ORIGINAL: Victoria and the Rogue
PÁGINAS: 256
AUTOR(A): Meg Cabot
EDITORA: Galera
NOTA: 5 Estrelas

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...