terça-feira, 6 de setembro de 2016

Resenha: De Punhos Cerrados

.
''Na Minha Estante'' Assegura: A resenha a seguir está completamente livre de Spoilers... Leia sem Moderação e divirta-se!
.
Sinopse:
.
De repente órfão, o jovem Eduardo tem de mudar-se da cidade grande para a Fazenda do Encantado, em meio a cavalos xucros, ao pó vermelho do cerrado goiano, e à violência da vida controlada pela abelha-rainha daquela colmeia infernal, sua avó Nhá Nana. Uma mulher dura, uma tirana, para quem a vida dos outros nada valia, comparada às necessidades da fazenda.
.
De punhos cerrados, Eduardo tinha  sobrepor-se à violência dessa nova vida, tinha de domar o demônio de pelo negro, o cavalo Asa Negra, mas, sobretudo, tinha de impedir que a violência de Nhá Nana o dominasse...
.
Na sua luta, ele não estava sozinho: havia a dedicação de um velho vaqueiro, o velho das gargalhadas, o velho que pairava em sua volta como um anjo da guarda e... havia o amor de Ritinha, a garota que tinha a pureza daquela terra, o sorriso ingênuo daquela região cheia de sol,e o cheiro agreste das flores do cerrado brasileiro.
.
O que eu achei?
.
Fazem dois dias que terminei De Punhos Cerrados, e fazem dois dias que olho para o livro não sabendo como avaliar ele. Mesmo não tendo muito mais do que 200 páginas, esta história do incrível Pedro Bandeira me deixou tão dividido que não sei se amei MUITO todo o sentimento de nostalgia e as coisas incríveis que este volume traz ou se odiei MUITO o seu ritmo lento e a natureza super descritiva da trama.
.
Pois sim, De Punhos Cerrados é aquele livro em que você bate o olho na primeira página e reconhece o autor em cada linha. Aqui nós temos um jovem protagonista sedento para mudar o mundo - e não sabendo como - além do antagonismo doloroso do cinismo adulto, como boa parte dos livros do Pedro. Porém, diferente de outras histórias, aqui também nos temos o autor quase travestido de Tolkien, extremamente preocupado com o cenário de uma fazenda parada no tempo, no interior de Goiás, e de fidelidade a vida no campo - o que poderia ser um trunfo, mas acabou deixando o texto extremamente cansativo em suas 100 primeiras páginas.
.
Não vou mentir: pelo começo, achei sim que este seria o primeiro livro do autor que eu odiaria. Estava tudo muito lento e parecia não levar para lugar algum. Mas eis que, na metade da narrativa, a trama finalmente ganha corpo e forma, é aí me inseri de verdade no texto.
.
Finalmente fui arrebatado pela perda dos pais do menino Garrote, e a raiva que ele sentia do mundo. Finalmente a amizade do garoto com o velho cavaleiro da fazenda e o seu amor puro pela filha do peão me conquistaram. E, principalmente... Finalmente pude querer lutar junto com Eduardo contra a crueldade e tirania de sua avó, aliada à maldade de seu braço direito. 
.
Enfim, como disse no começo, ainda estou dividido. Ainda não sei se amei os pontos positivos ou se deixei os pontos negativos manchar a experiência. Mas tudo o que sei é que, de fato, De Punhos Cerrados foi um exemplo Mixed Feelings.
.
.
Sobre o autor:
.
Pedro Bandeira é um escritor brasileiro de livros infanto-juvenis. É também o autor de literatura juvenil mais vendido no Brasil (vinte milhões de exemplares até 2006) e, como especialista em letramento e técnicas especiais de leitura, profere conferências para professores em todo o país. É autor de 77 livros publicados, entre eles títulos consagrados como a série Os Karas, A Marca de uma Lágrima, Agora Estou Sozinha..., A Hora da Verdade e Prova de Fogo.
.
Recebeu vários prêmios, como o Prêmio APCA, da Associação Paulista de Críticos de Arte e o Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, entre outros.
.
TÍTULO: De Punhos Cerrados
PÁGINAS: 204
AUTOR(A): Pedro Bandeira
EDITORA: Rocco
NOTA: 3 Estrelas

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...