quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Resenha: O Lado Feio do Amor

.
''Na Minha Estante'' Assegura: A resenha a seguir está completamente livre de Spoilers... Leia sem Moderação e divirta-se!
.
Sinopse:
.
Quando Tate Collins se muda para o apartamento de seu irmão, Corbin, a fim de se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imaginava conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento onde companheirismo e cumplicidade não são prioridades. E o sexo parece ser o único objetivo. Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin, sabe ser persuasivo... apesar da armadura emocional que usa para esconder um passado de dor.

O que Miles e Tate sentem não é amor à primeira vista, mas uma atração incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. O rapaz impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será um relacionamento casual. Eles têm a sintonia perfeita. Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo.
 
.
O que eu achei?
.
Se existe um alguém que é a personificação da expressão "Mixed Feelings" para mim, este alguém é a Colleen Hoover. Já estou no quinto romance escrito pela americana, e nunca sei o que esperar dela. Algumas vezes, eu amo. Outras vezes, odeio. E ainda existem os casos onde acho o livro meio-termo. "O Lado Feio do Amor" poderia muito bem entrar na última categoria... Mas acho que ele acabou se tornando o livro que mais representa a minha confusão de sentimentos que tenho com a autora. 
.

Vejam bem, em nenhum momento eu posso falar que odiei o livro. Muito pelo contrário, os pontos positivos da leitura saltam aos olhos. De todas as autoras que começaram independentes e se tornaram fenômeno dos gênero Novo Adulto e do Mature Young Adult, ouso dizer que a Colleen é a que tem a escrita mais rebuscada - cujos os livros sempre possuem um leve toque de cor através de elementos como a poesia, e a música, mesclados aos tons cinzas e gelados do Cotidiano. "O Lado Feio do Amor" de fato é um exemplo disto: Contado através dos pontos de vista de Tate e Miles, a autora intercala presente e passado - mudando não só a voz do narrador como também diferenciando os dois tempos com a escrita simples e crua para os acontecimentos atuais, e um toque lírico e apaixonado para os flashbacks.
.
Outro fator que tiro o chapéu para a Collleen Hoover em "O Lado Feio do Amor" foi o cuidado que ela teve ao narrar as cenas de sexo presentes na história. Este é o primeiro Novo Adulto da autora que eu leio, e digo que - sem sombra de dúvidas - a elegância e a classe com que ela descreveu os momentos quentes dos protagonistas deixaria muito autor erótico com inveja. Nada é agressivo, ou chulo, ou torpe... Mesmo que a carga dramática da cena seja animal, ou transgressivo. Ela consegue criar o clima do momento, e mesmo assim continuar com sua prosa delicada. E isto, com certeza, não é para qualquer um.
.
Entretanto, nem tudo foi perfeito para mim. E a pedra no meu sapato, no caso deste romance, infelizmente foram seus personagens... Principalmente o Miles. É ele quem conhece o supracitado Lado Feio do Amor do título, e é ele quem é o principal impeditivo para que o romance com Tate não aconteça. Eu entendo que ele está machucado, eu entendo que ele passou por uma dor e um trauma incalculável - mas foi a POSTURA dele diante da dor que me irritou. Ele simplesmente acha que é o detentor universal da patente das pessoas quebradas, e ninguém pode superá-lo. Por isso, sua relação "casual" com Tate está fadada ao fracasso desde o princípio: Pois ele mesmo transforma pequenas coisas em grandes, então age como um babaca insensível e machuca a moça over and over again (pois, afinal, a dor dela nunca irá se equipará a dele).
.
E se eu fiquei do lado de Tate desde o princípio quanto as mensagens confusas e patifarias "justificadas" (pela própria autora) de Miles, também não posso afirmar que ela foi um exemplo. Se existe uma única palavra que ela desconhece, esta seria o "amor próprio". Ela está tão perdidamente apaixonada pelo piloto, que fica cega aos maus comportamentos do rapaz - mesmo quando isto a prejudica. Em vários momentos ela poderia ter confrontado ele, buscado se amar em primeiro lugar, mas ela se anula para não ter que abandonar as migalhas que Miles lhe dá. Muitas vezes, acho que fiquei mais machucado do que a própria quando o cara a usava como uma camisinha, e simplesmente ia embora. Mas, mesmo assim, ela continuava estoica... Almejando o amor de alguém que repetiu várias e várias vezes que não a amaria. 
.
Enfim... Se Miles fosse menos covarde e se Tate se amasse mais, acho que poderia entender a razão da pessoas considerarem este o melhor livro da autora. Na minha opinião, não (o cargo continua com "Em Busca de Cinderela"). Tudo parece que gira ao redor do piloto de avião, e esta obsessão de todos (tanto personagens, quanto autora) é tão palpável, que terminei o volume conhecendo mais ele do que a enfermeira. Isto, considerando que os capítulos narrados por ela eram maiores do que os dele. Mesmo assim, como eu disse lá em cima, em nenhum momento posso dizer que o livro é ruim... Apenas não funcionou comigo. Infelizmente.
.
.
Sobre a autora:
.
Colleen Hoover nasceu 11 de dezembro de 1979, em Sulphur Springs, Texas. Ela cresceu em Saltillo, Texas, e formou-se a partir de Saltillo High School, em 1998. Em 2000, ela se casou com Heath Hoover, com quem ela já tem três filhos e um porco chamado Sailor. Hoover formou na Texas a & M-Commerce com uma licenciatura em Serviço Social. Ela trabalhou vários trabalhos de ação social e de ensino, até que ela começou sua carreira como escritora.
.
TÍTULO:  O Lado Feio do Amor
TÍTULO ORIGINAL: Ugly Love
PÁGINAS: 336
AUTOR(A): Colleen Hoover
EDITORA: Galera
NOTA: 3 estrelas

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...