quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Resenha: Redenção de um Cafajeste

.
''Na Minha Estante'' Assegura: A resenha a seguir está completamente livre de Spoilers... Leia sem Moderação e divirta-se!
.
Sinopse:
.
Em Redenção de um cafajeste, a autora narra a história de Arthur, empresário, dono de uma das revistas masculinas mais escandalosas do país, que conhece Maiana, garota humilde, que sonha terminar a faculdade e ser professora. Eles que pertencem a mundos completamente diferentes, mas estão prestes a descobrir tudo o que têm em comum. 
.
Enquanto a recatada Maiana leva uma vida simples, de privações, Arthur, o herdeiro de um conglomerado de revistas, sabe tirar proveito do que conquistou: dinheiro, poder, mulheres à vontade e muito sexo. Para Arthur, os fins justificam os meios. É capaz de passar por cima do que for necessário para conseguir o que deseja, sem nunca abrir mão do controle que exerce sobre si mesmo e os outros, especialmente as mulheres. Todavia, um incidente coloca Maiana em seu caminho, e ele se vê refém de sentimentos incontroláveis. Tem início um perigoso jogo de sedução que fará com que os dois experimentem prazeres inesgotáveis, transpondo os limites entre o amor e a dor. Neste conto de fadas contemporâneo, repleto de erotismo e paixão, Nana Pauvolih coloca os leitores diante de uma história de amor em que a Gata Borralheira e o Príncipe Encantado se alternam no papel de salvador e vítima. 
.
Confirmando o talento da autora, nome frequente em listas de vendidos, o primeiro romance da trilogia Redenção provocará suspiros e intensas emoções. E este é apenas o começo.
.
O que eu achei?
.
Acho que ouço um coro de Aleluia, pois FINALMENTE - depois de TRÊS longos meses - consegui finalizar "Redenção de um Cafajeste", de Nana Pauvolih... Eu ganhei o livro de cortesia no Skoob, achei que seria uma leitura rápida, mas yeap, não foi. "Redenção" sofre do mesmo mal que muitas outras histórias do gênero que eu tentei ler: Um livro longo, para uma história que poderia ter sido contada muito bem em apenas 250 páginas. Mesmo sendo em primeira pessoa, mesmo tendo múltiplos pontos de vista, a narrativa consegue ser arrastada e cansativa - e sim, isto é um problema terrível.
.

Isto para não falar no casal de protagonistas. Maiana é a típica menina pobre "tadinha dela, como é batalhadora". Apesar de bonita (nível parar o quarteirão), quer ser reconhecida pelo suor do trabalho, pela faculdade de História que faz, pela saga de sair de Nova Iguaçu, com uma casa completamente desestruturada, e estudar e trabalhar no Centro. Que faz jogo duro com o cara, mas é só ele pedir ela em namoro que ela aceita (sim, sem nem conhecer a pessoa... Pois, né, chamar a relação de namoro muda tudo). Sabe aquelas mocinhas idealizadas, de Novela, e que ninguém tem paciência com ela? Sim, esta é a Maiana. Por outro lado, temos o Arthur. Rico, mais de 30 anos, dono de um conglomerado de revistas, a principal uma "Playboy" da vida. Ele é o típico morenão por quem todas as mulheres se derretem, mas que na verdade é um... ESCR*TO. Sim, não existe outra definição para este playboy de bosta que é o protagonista deste livro. Se eu não tinha paciência com a sonsice da Maiana, no caso de Arthur eu tinha NOJO. Em caixa alta. Pois ele era arrogante, babaca e todo o tipo de adjetivo que você possa encontrar para um ricaço mau caráter.
.
Para completar, temos 1.427 cenas de sexo que te fazem repensar se gosta mesmo de sexo, o que resumindo um pouco a ópera, me dava vontade de jogar o livro pela janela. Para se ter uma ideia, os dois parecem COELHOS. Não é apenas uma relação por capítulo. São duas, três, quatro e ZzZzZ. O mais engraçado de tudo é que, até então, a protagonista era virgem. Mas, já na primeira vez, vira a noite - e o final de semana - com o garanhão. Verosimilhança para quê, não é mesmo?! Afinal, Arthur Moreno é insaciável. E os dois possuem uma química "incrível" juntos - Química esta que parece não ser capaz de manter o pênis de Arthur dentro das calças enquanto Maiana está longe. Mas esta foi a criação dele, não é mesmo? Ele é rico, e não sabe se gosta mesmo da garota, e faz parte de ser "macho alfa"... (insira aqui a imagem de alguém vomitando).
.
Enfim, como eu disse ali em cima, por muitas vezes eu quis jogar o livro longe. Mas eu não joguei. Deixei ele no cantinho, parado na metade por SEMANAS, até que retomei a leitura no sábado passado e cheguei na parte em que ENFIM acontecia o estopim para o Babaca buscar a ''redenção'' [nem é spoiler, né, isto é O TÍTULO DO LIVRO]. E, por incrível que pareça, neste ponto a leitura foi mais fluída - pois a autora finalmente se concentrou na história e em reparar os problemas dos personagens (o que, depois de 250 páginas foi uma surpresa). Não quero dizer que foi uma reviravolta gigantesca e que fez os personagens amadurecerem, e a história ficar mais rica. Não é isto mesmo. Afinal, o clima de novela mexicana GRITA em cada parágrafo (e nem são as novelas mexicanas da Televisa). Mas Arthur percebe o quão filho da p*ta ele era, e a Maiana finalmente aprende a se dar um pouco de valor. Só um pouco mesmo.
.
Resumindo a minha linha de raciocínio: Odiei a primeira metade do livro, e a segunda metade até que foi Ok. Poderia não estar esperando por um livro que mudaria a minha vida, mas esperava que ao menos me divertisse lendo o romance. E não, eu não me diverti. Fiquei irritado, com ódio dos personagens, querendo matar alguém? Sim. Mas me divertir? Não mesmo. Infelizmente, "Redenção de um Cafajeste" passou longe do seleto hall de livros eróticos que me surpreenderam. E, apesar do segundo livro da trilogia ser com um personagem que até gostei neste livro, não sei se encaro mais uma saga de mais de 500 páginas desnecessárias. "Cafajeste" já me deixou com trauma de sexo por um bom tempo... E nem tenho muito orgulho de dizer isto. Yeap.
.
.
Sobre a autora:
.
Escritora há mais de vinte e cinco anos, Nana Pauvolih mantinha seus livros apenas para ela mesma. No final do ano de 2012 resolveu compartilhar trechos de um de seus livros em um site , obtendo grande sucesso na internet e atraindo novos leitores, levando assim ao surgimento de seu primeiro livro lançado por uma editora tradicional: A Coleira, um romance extremamente erótico.Desde então já lançou variados ebooks e todos os seus livros tem um alto teor de sensualidade e erotismo.
.
TÍTULO:  Redenção de um Cafajeste
SÉRIE: Trilogia Redenção
PÁGINAS: 560
AUTOR(A): Nana Pauvolih
EDITORA: Fábrica 231
NOTA: 2,5 estrelas

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...