domingo, 17 de maio de 2015

Resenha: A Herdeira [A Seleção #4]

.
''Na Minha Estante'' Assegura: A resenha a seguir está completamente livre de Spoilers... Leia sem Moderação e divirta-se!
.
Sinopse:
.
No quarto volume da série que já vendeu mais de 500 mil exemplares no Brasil, descubra o que vem depois do “felizes para sempre”. Vinte anos atrás, America Singer participou da Seleção e conquistou o coração do príncipe Maxon - se tornando, assim, na Rainha de Ileia. Agora chegou a vez da princesa Eadlyn, filha do casal. 
.
Prestes a conhecer os trinta e cinco pretendentes que irão disputar sua mão numa nova Seleção, ela não tem esperanças de viver um conto de fadas como o de seus pais… Na verdade, se existe alguém contra o concurso, este alguém é ela própria. Mas forças maiores a obrigam a fazer o sacrifício, e assim que a competição começa, ela percebe que encontrar seu príncipe encantado talvez não seja tão impossível quanto parecia.
.
O que eu achei?
.
Eu confesso que talvez, só talvez, a minha resenha original de "A Herdeira" fosse mais simpática... Pois, apesar de ser um fã apaixonado pela série original que ficou extremamente frustrado (para não dizer decepcionado) com o anúncio de que a trilogia ganharia mais dois novos livros para a sua linha cronológica oficial, eu meio que acabei gostando da leitura. Considerando que acabei de sair de uma Ressaca Literária épica, e que a leitura foi fluída e prazerosa, eu não posso fazer vista grossa quanto a isto. Mas não, este livro está longe de ser perfeito. Mas, por algum motivo bizarro, o meu notebook travou e não salvou o texto que passei praticamente um dia inteiro escrevendo. Então, tudo bem, talvez eu esteja um pouco ranzinza e isto venha a ficar bastante claro no texto. Por isso, volto a salientar: Não foi um livro péssimo. Mas diante desta necessidade de se ter mais de uma história que já poderia estar fechada, o romance poderia ser muito mais.
.
Se você espera algo parecido com o que encontramos em "A Seleção", já aviso que não é bem assim. O livro, por ser uma sequência de tudo que ficou de ser implantado em Ileia a partir de "A Escolha", já conta com uma mudança em seu tom. Claramente aliviada por não ter que se preocupar mais com questões distópicas, como os grupos Rebeldes e os ataques ao Palácio, Kiera Cass se dedica com afinco para transforma a nova monarquia em um verdadeiro conto de fadas. É lógico que teremos questões políticas permeando a trama, e são elas que dão origem à esta nova Seleção, mas nada parece ser tão grave ou urgente quanto nos livros anteriores. Sim, sei que isto pode ser uma falha no roteiro - já que, tecnicamente, a insatisfação popular que vem tomando conta das ruas com relação à família Real era para ser um problema... Mas não parece algo eminente, e considerando o tom estritamente introdutório deste volume, parece não ter muita importância.
.
Outro fator que difere bastante "A Herdeira" de seus predecessores, é com relação aos seus personagens. Pela protagonista ser agora quem dita as "regras do jogo", nós temos uma visão maior das motivações políticas e dos Selecionados. Quero dizer, em tese, já que Eadlyn não está muito feliz por estar participando do programa, e poucas vezes sabemos de fato no que ela trabalha para ajudar o pai Maxon. Mas, sim, um grupo de participantes ganha bastante destaque, e todos eles parecem ter um forte potencial a conquistar o coração da futura rainha - já que, ao menos, os que possuem uma forte presença na trama, tem seus pontos positivos e negativos tanto no quesito amoroso como no profissional. Isto não significa que não tenha um favorito, pois tenho e nome dele é Kile... Mas eu não nego que pelo menos outros quatro rapazes são fortes (e dignos) concorrentes).
.
Se por um lado isto foi positivo, pois conhecemos mais destes personagens e de suas vidas, por outro isto foi um tiro no pé. Afinal, "A Seleção" é sobre romance. E isto meio que falta na história. Sim, temos encontros e flertes e alguns beijos. Mas não temos um norte amoroso, um casal base cuja história parece florecer diante dos nosso olhos, como foi com America e Maxon. Para falar a verdade, ao menos neste livro, temos várias sementes e algumas ramas que já brotaram, e que tentamos ver qual será a flor mais bonita (mas, mais uma vez, não escondo a minha torcida para um dos concorrentes mais improváveis da história, e o que justamente tem o dom de colocar a futura Rainha Eadlyn no seu lugar).
.
Já que falei em colocar Eadlyn em seu lugar, eu já preciso dizer: Maxerica falhou feio, falhou rude na criação desta garota. Entendo que a autora queria criar uma personalidade diferente para a filha da America, mas... O que era para deixá-la forte e demonstrar empoderamento feminino, falhou tristemente no meio do caminho. Eu poderia dize que a princesa primogênita abusa da desculpa de ter a responsabilidade do futuro do país em suas costas, mas não vou ser condescendente com ela. Eadlyn é mimada, egoísta, intratável, não sabe lidar com seus subordinados e acha que humilhar os outros é uma ''brincadeira''. Torço muito para que no próximo volume exista uma transformação na personalidade dela, pois - tirando por "A Herdeira" - eu consigo entender completamente a razão do povo odiá-la. A garota é uma Vaca. Com letra maiúscula. 
.
Enfim, não vou dizer que o livro foi uma decepção, pois ele não foi. Eu realmente não esperava nada dele, e foi bom reencontrar a narrativa gostosa da autora e retornar para Ileia. Entretanto, ele está longe de ser encantador como "A Seleção", agitado como "A Elite" ou impactante como "A Escolha". Sim, o romance fez falta. E sim, esta protagonista mal-criada não ajuda a criar um carisma ao livro. Mas ele visivelmente é uma introdução à tudo o que pode acontecer no próximo volume... E se a Kiera Cass fizer a lição de casa, o último livro da série (será?) pode ser incrível. Só nos resta torcer.
.
.
Sobre a autora:
.
Quando terminou o ensino médio, sua ambição era o teatro, e foi para Coastal Carolina University, se formando em Teatro Musical. Depois foi para Radford University e mudou para Música. Então Comunicação. Em seguida, História. Acabou estabelecendo-se em História, mas mudou-se para Blacksburg, casou teve filhos. Depois disso, tornou-se dona de casa para ficar em casa com os filhos.
.
Em 2007, abalada por uma tragédia local, tentou um monte de coisas para se recompor, resultando em se sentar para escrever uma história onde o seu personagem teve que lidar com seus problemas. Escrever lhe ajudou a lidar com todas as coisas que estava sentindo. Acabou por não terminar essa história, porque começou a escrever The Siren. Depois de adquirido o hábito de escrever, teve muitas idéias, incluindo The Selection e um punhado de outras que estão esperando sua vez.
.
Atualmente vive em Blacksburg, VA, com seu marido e filhos.
.
TÍTULO:  A Herdeira
TÍTULO ORIGINAL:The Heir
SÉRIE: A Seleção
PÁGINAS: 352
AUTOR(A):  Kiera Cass
EDITORA: Seguinte
NOTA: 3 Estrelas

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...