segunda-feira, 6 de abril de 2015

Resenha: A Morte de Sarai

.
''Na Minha Estante'' Assegura: A resenha a seguir está completamente livre de Spoilers... Leia sem Moderação e divirta-se!
.
Sinopse:
.
Sarai sempre quis ser livre — e agora não consegue deixá-lo.
.
Sarai era uma típica adolescente americana: tinha o sonho de terminar o ensino médio e conseguir uma bolsa em alguma universidade. Mas com apenas 14 anos foi levada pela mãe para viver no México, ao lado de Javier, um poderoso traficante de drogas e mulheres. Ele se apaixonou pela garota e, desde a morte da mãe dela, a mantém em cativeiro. Apesar de não sofrer maus-tratos, Sarai convive com meninas que não têm a mesma sorte. Depois de nove anos trancada ali, no meio do deserto, ela praticamente esqueceu como é ter uma vida normal, mas nunca desistiu da ideia de escapar.
.
Victor é um assassino de aluguel que, como Sarai, conviveu com morte e violência desde novo: foi treinado para matar a sangue frio. Quando ele chega à fortaleza para negociar um serviço, a jovem o vê como sua única oportunidade de fugir. Mas Victor é diferente dos outros homens que Sarai conheceu; parece inútil tentar ameaçá-lo ou seduzi-lo.
.
Em A morte de Sarai, primeiro volume da série Na Companhia de Assassinos, quando as circunstâncias tomam um rumo inesperado, os dois são obrigados a questionar tudo em que pensavam acreditar. Dedicado a ajudar a garota a recuperar sua liberdade, Victor se descobre disposto a arriscar tudo para salvá-la. E Sarai não entende por que sua vontade de ser livre de repente dá lugar ao  ao desejo de se prender àquele homem misterioso para sempre. 
.
O que eu achei?
.
Se eu preciso começar este meu comentário sobre ''A Morte de Sarai'' de alguma forma, acho que o mais apropriado seria dizer que eu não fazia a mínima ideia de como seria o livro. Quero dizer, eu estava bastante empolgado por se um novo romance de JA Redmerski, autora de Entre o Agora e o Nunca (que é um dos meus livros favoritos ever), então - sim, eu esperava ao menos gostar. Mas, desde o começo, sabia esta que seria uma experiência completamente diferente do meu contato anterior com algo escrito por ela. Está mais do que explícito pela própria sinopse. Eu simplesmente não sabia para onde ela iria me levar, e isto meio que alimentava um pouco as minhas expectativas, mas também me deixava com um certo medo. 
.
Para deixar tudo mais claro, vamos esclarecer algumas coisas: "Na Companhia de Assassinos" não é um Novo Adulto como a outra série da autora. Sim, a protagonista Sarai está na faixa dos vinte anos, e sim, temos algumas doses de romance no decorrer da narrativa. Se pegar o livro esperando um primo das aventuras de Camryn e Andrew, vai acabar se decepcionando completamente. Pois, do primeiro capítulo até o último, nós vemos que este não é o foco do livro. Como o título deixa bem claro, o enfoque que J.A. Redmerski tem neste romance são... Assassinos. 
.
O que me leva a dizer: Aqui, estamos rodeados deles, todos vindos de uma organização secreta e internacional. Além de, é claro, criminosos dos mais variados tipos. E tráfico de drogas e de pessoas, e corrupção e todo este lado sujo que às vezes nos deparamos no telejornal. Isto, é claro, intercalado com a história de uma garota totalmente destruída e um homem que foi ensinado a não ter sentimentos, em nome da profissão para o qual foi criado. E é a história dos dois - ela fugindo de um poderoso chefe de um cartel mexicano, e ele em uma missão a mando de seu chefe - que a autora nos conduz por uma verdadeira montanha russa de ação, suspense, reviravoltas e... Uma paixão inesperada.
.
Esta última parte, o envolvimento de Sarai com o "mercenário" Victor, me causava um pouco de apreensão - pois já li outros romances ditos "obscuros" que glamorizavam o errado e o completamente reprovável em nome ''da sua história". Mas, para meu total alívio (e alegria), Redmerski teve o bom senso de mesmo em uma história com tantos tons de cinza, ainda assim saber diferenciar o que é certo e o que é errado (Oi, "Captive in the Dark" e "Number Thirteen"!). Com isto, acho importante dizer que, não, a autora não enfeitou o mundo do crime só por que um de seus protagonistas é um assassino de aluguel. Aqui, o abuso, o tráfico de mulheres, a máfia é abordado como ela realmente é: Algo asqueroso, doentio... E não este universo "sensual e enigmaticamente perigoso" que algumas histórias por aí andam caindo. Para isso, ela acabou usando esta misteriosa organização - o que foi uma saída perfeita! Então, sim, não posso negar que fiquei bastante orgulhoso pela autora ter tido este discernimento ao criar sua trama.
.
Além disto, é praticamente impossível não perceber o quanto a autor se divertiu ao escrever "A Morte de Sarai". Se em "Entre o Agora e o Nunca" a autora já demonstrava não ter o mínimo de papas na língua na hora de utilizar um palavreado um tanto quanto mais "boca suja" na sua narrativa, aqui ela está simplesmente sem amarras. O que significa que, é claro, o livro está cheio de palavrões. Mas, mesmo assim, em nenhum momento o texto parece agressivo ou torpe. Muito pelo contrário, isto cria um contexto muito mais coerente com a história... Afinal, estamos falando de criminosos, não de universitários - e mesmo se fossem universitários, é sério, quem fala de forma ''rebuscada'' hoje em dia?!
.
Enfim, não posso negar o quanto esta leitura me empolgou. Fiquei tão vidrado na história que li este primeiro volume em praticamente dois dias - e já estou na primeira metade do segundo livro, "Reviving Izabel''. Digo com orgulho que J.A. Redmerski soube se re-inventar e seguir um caminho completamente diferente do que era esperado. Afinal, seria muito mais fácil ela transformar o universo de "Entre o Agora e o Nunca" em uma saga infinita. Mas ela não o fez. Ela escolheu tomar uma outra via, e fico feliz de poder seguir junto com ela , e conhecer toda a versatilidade que consegue nos apresentar. 
.
.
Sobra a autora:
.
J. A. Redmerski é a autora das séries Entre o Agora e o Nunca, Na Companhia de Assassinos, da trilogia Darkwoods e Dirty Eden. Ela é fã de lobisomens e zumbis, viciada em livros e obcecada pelo universo de The Walking Dead. Ela mora em North Little Rock, Arkansas, com seus três filhos e um maltês.
.
TÍTULO:  The Edge of Never
TÍTULO ORIGINAL: Killing Sarai
SÉRIE: Na Companhia de Assassinos
PÁGINAS: 256
AUTOR(A):  J. A. Redmerski
EDITORA: Suma de Letras
NOTA: 4 Estrelas

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...