quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Resenha: Something Like Normal

.
''Na Minha Estante'' Assegura: A resenha a seguir está completamente livre de Spoilers... Leia sem Moderação e divirta-se!
.
Sinopse:
.
Quando Travis retorna para casa depois de uma longa temporada no Afeganistão servindo para a Marinha dos EUA, seus pais estão se separando, seu irmão roubou a sua namorada e seu carro, e ele é assombrado por pesadelos com a morte violenta de seu melhor amigo. Dilascerado e perdido, Travis corre para Harper, uma garota que ele teve uma relação complicada no ensino médio, e que a vida realmente começa a olhar para cima. 
.
E como ele e Harper parecem enchergar mais um do outro, ele começa a escolher o seu caminho através do campo minado de problemas familiares e estresse pós-traumático para a possibilidade de uma vida que poderia se assemelhar a algo normal novamente. Servido com todo o senso de humor de Travis , e o seu incrível senso de honra, "Something Like Normal" nos traz um herói irresistível e eminentemente adorável.
.
O que eu achei?
.
Sabe aquele livro que você pegou em um momento completamente errado, abandonou por nenhum motivo aparente, e quando retornou, a leitura flui de uma forma muito melhor? Então, este foi exatamente o meu caso com "Something Like Normal", de Trish Doller. A primeira vez que eu ouvi falar sobre este Novo Adulto foi em um vídeo antigo do Psychobooks. Depois, minha amiga Mah leu e adorou. Então, diante de comentários tão entusiastas (e de pessoas em que confio), é lógico que eu fui atrás da história. Só que, naquele final de ano de 2012, eu parecia não estar na mesma frequência da história. Apesar da narrativa gostosa e fluída, da trama sobre estresse pós-traumático ser bem construída, o protagonista do livro me irritava demais com suas escolhas idiotas. Então, quando fui fazer uma pausa na leitura... Acabei que não voltei a pegar nele nunca mais.
.
Então, como eu raramente abandono um livro, eu deixei o soldado Travis e todos os seus problemas em um período de hiatus por tempo indeterminado. E esta situação só foi mudar nesta semana, enquanto eu organizava os arquivos no meu Kindle e dei novamente de cara com ele, totalmente por acaso. Movido pela determinação, eu voltei para o início da história, e antes que eu desse por mim, estava devorando páginas atrás de páginas - só parando quando cheguei ao fim do romance. Uma coisa eu devo falar: A voz masculina da autora é completamente crível. Ela não exagera na "masculinidade" de seu protagonista e muito menos deixa transparecer qualquer tipo de traço feminino em sua fala.
.
Porém, uma coisa que devo dizer é que - apesar da capa e da sinopse indicar o contrário - o romance "Garoto encontra Garota" não é o foco principal do livro. Sim, ele está lá, na figura incrível da Harper (momento fanboy: Melhor pessoa...) - mas, ainda assim, o protagonista tem problemas maiores na balança, como a morte iminente de seu melhor amigo na Marinha, uma relação conturbada com o pai, a inveja do irmão, os traumas deixado pela guerra do Afeganistão, sua carreira nas forças armadas e entre outros. Mesmo sendo um Novo Adulto, com personagens mais velhos, e linguagem mais adulta, a autora não descreve nenhuma cena gráfica de sexo - apenas faz referências - o que deixa a história apropriada para o público Jovem Adulto também.
.
Mas, mesmo amando o livro e cada característica forte que ele traz à partir desta nova leitura, para mim o Travis continua sendo meio babaca na primeira metade da trama. Isto não se pode contestar. Sim, eu entendi todos os seus conflitos, me simpatizei com o soldado... Só que ele erra - pra caramba, e com a Harper ainda por cima - então não tenho como defender todas as besteiras que ele faz pelo caminho, em um estado de negação constante aos seus problemas psicológicos mais do que tangíveis. Ok, através de toda a história ele vai crescendo, se conhecendo e aprendendo mais sobre si mesmo - mas isto não muda o fato dele ter feito idiotices.
.
Enfim, justamente por este meu "problema" inicial com o Travis, eu acabei não dando 5 estrelas para "Something Like Normal". Só que, nem por isto eu recomendo menos o livro. Ele é um Novo Adulto com uma pegada bem diferente da que estamos vendo no mercado ultimamente, e a construção do personagem e do seu estresse pós traumático foi realmente muito bem feita. Nem precisam me perguntar mais nada: Muito mais do que recomendado! E sim, se puder, eu vou querer ele em versão física na minha estante... 
.
.
Sobre a autora:
.
Trish Doller nasceu na Alemanha, cresceu em Ohio e se graduou em Jornalismo com mérito pela Universidade de Ohio. Casada com um homem realmente incrível, já passou um tempo no Maine, no Michigan e voltou para a sua terra natal. Ela já trabalhou como apresentadora de rádio e como revisora do jornal local. Trish tem um casal de filhos, que a cada dia crescem mais - rumo a se tornarem os adultos mais interessantes que ela já teve o prazer de conhecer. 
.
TÍTULO: Something Like Normal
PÁGINAS: 224
AUTOR(A): Trish Doller
EDITORA: Bloomsbury 
NOTA: 4 Estrelas

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...