quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Resenha: Além do Oceano Atlântico

.

''Na Minha Estante'' Adverte: A resenha a seguir pode conter Spoilers ocasionais dos livros anteriores da série ''Fazendo o Meu Filme'', de Paula Pimenta... ''Pode conter'', mas eu me esforcei para que não tivesse! '').
.
Sinopse:
.
Depois de conquistar milhares de leitores e leitoras, a nossa doce e querida Fani volta ainda mais divertida e encantadora. O segundo volume do livro Fazendo meu filme apresenta as aventuras de Estefânia Castelino Belluz na terra da rainha. Sim, na Inglaterra! Longe do grande amor, ela passa por momentos de alegria, dor, saudade, tristeza e, mais do que isso, pode conhecer melhor a si mesma. Sem deixar de lado suas amigas inseparáveis e sua família, ela consegue, no outro continente, viver momentos cheios de suspense, revelações, aventuras, descobertas e emoções fortíssimas! Feliz, triste, preocupada, ansiosa, temerosa, otimista, insegura, cheia de si, apaixonada, desiludida, seja como estiver, Fani mostra a cada página deste livro que não é mais aquela menina tão frágil que muitas vezes se escondia por trás de sua timidez.
.
Mais do que a história de uma adolescente que se encoraja a fazer intercâmbio e morar fora por um ano, este livro fala de um grande e delicado amor. Em meio a uma avalanche de sentimentos e acontecimentos surpreendentes, ela consegue viver intensamente na Inglaterra, conhecendo pessoas que conquistam seu coração e sua amizade para toda a vida. Porém, o melhor filme de sua vida ainda está para ser contado, ou melhor, vivido…
.
O Que Eu Achei?
.
Era para eu já ter postado esta resenha à um tempinho já, mas devido à Bienal do livro, ela acabou atrasando (bastante, diga-se de passagem!). Como eu falei no meu post sobre o primeiro volume da série ''Fazendo o Meu Filme'', A Estreia de Fani - que você pode ler aqui, eu não esperava muito das histórias da Paula Pimente. Eu sabia que deveriam ser boas e muito divertidas, mas não passaria disto. Só que, ao terminar de ler o livro um, eu vi que estava completamente enganado,  e totalemte apaixonado pelos personagens e suas vidas. E isto só fez crescer as minhas expectativas quanto ao segundo livro da série.
.
Quando chegou a vez de por as minhas mãos em ''Fani na Terra da Rainha'', eu meio que fiquei com medo - justamente pelas minhas altas expectativas. Eu não sou de fazer isto, muito pelo contrário, mas a minha surpresa com o primeiro volume foi tanta que o surgimento destas expectativas acabou se tornando algo inevitável. E, para a minha alegria, mas uma vez as aventuras de Fani me surpreendiam e superavam tudo o que eu podia esperar sobre elas. 
.
Como se fosse possível, a Paula escreveu uma história tão boa quanto a original e, ao mesmo tempo, completamente diferente. Além das incríveis citações cinematográficas nos começos dos capítulos e da narração em 1° pessoa na voz de Fani, ela também utilizou alguns dos recuros que já haviam dados sinais no livro anterior, mas de uma forma muito mais presente e segura. Entre e-mails, cartas, formulários e outras coisas, tudo se tormou um complemento tão necessário e abrangente à trama, que simplesmente não dá para imaginar a história sem a presença deles.
.
Um dos meus grandes receios era que, como a história se passa em boa parte na Inglaterra, os personagens que tanto me encantaram durante a leitura do primeiro volume acabassem ficando esquecidos. Mas, com um toque de mestre, a autora conseguiu deixá-los presentes durante toda a trama, mesmo com a maioria estando separados da protagonista por quilômetros e mais quilômetros de Oceano Atlântico. Além da ''presença-não-presente'' dos personagens do livro Um, nós também conhecemos novas figuras durante a estadia de Fani na Inglaterra. Eu achei a ''família'' inglesa da menina uma graça, e eu percebi que tudo o que eu sabia sobre Intercâmbio era uma farsa (Sério mesmo, a minha imagem do programa era bastante diferente da que é apresentada no livro, e isto me surpreendeu bastante - positivamente).
.
Como esperado, a Fani passa por diversas cituações (e atribulações) na Terra da Rainha, e muitas vezes eu tive uma vontade enorme de entrar no livro só para dar umas sacudidelas nela. Não que a personalidade da garota tenha mudado bruscamente e eu tenha passado à odiá-la, que fique bem claro que não foi nada disso, mas por eu me importar tanto com ela (e com os outros ao seu redor) que, ao ver eles fazendo alguma escolha impensada (para não dizer idiota mesmo!), eu queria alertá-los de qualquer maneira. Nem que fosse com um tapão na cabeça...
.
Mas, no final, tudo teve um bom motivo para ter acontecido. Se Fani não tivesse ido para tão longe, e passado por tudo o que ela passou, com certeza ela não teria amadurecido tanto quanto amadureceu. Esta evolução da personagem me agradou e muito. Várias vezes eu já me deparei com séries em que, da mesma forma que o protagonista começou, ele termina - como se tudo o que ele passou não fosse nada além de um sonho. Só que isto não acontece aqui. E com certeza, é este amadurecimento que torna os personagens da Paula Pimenta tão reais e verossímeis quanto eles são.
.
Meus Quotes Favoritos:
.
''No primeiro dia de aula eu pude ir sem uniforme, já que eu sou estudante de intercâmbio e ainda não tinha comprado, mas todos os alunos já estavam devidamente fantasiados. Sim, eu me senti em uma festa à fantasia em que todas as meninas usavam roupas de colegial, igual à Britney Spears no clipe de ...Baby One More Time.''
Página 49
.
''Fiz amizades com espantalhos, homens de lata e leões, que eu sei que me acompanharão durante todo o percurso. Mas eu não preciso chegar ao fim do caminho para saber o que a Dorothy demorou tanto tempo para descobrir: 'Nenhum Lugar é melhor do que a própria casa' ''.
Página 72
.
''Christian: Sobre o que eu escrevi, você entendeu? Eu não tive a intenção, aliás, não tenho a intenção de te deixar sem graça...
Fani (Mas deixou. E Continua deixando. Vou ficar calada um tempo, quem sabe ele não pensa que eu morri.): ...
Christian: Fani? Você está aí ainda?
Fani (Não, eu não morri!): Eu... estou. Estou, sim.''
Página 167
.
''Eu ainda tentei convencer o Christian a convidar o Alex, mas ele disse que estava cansado de falar inglês e que, se o Alex fosse, nós não poderíamos conversar em português, para não deixá-lo deslocado. Foi a desculpa mais furada que eu já escutei pois eu sei perfeitamente que o Alex entende português (...)''.
Página 232
.
Minha Playlist:
.
Música: The One That Got Away - Artista: Katy Perry
.
Faz muito, MUITO, tempo que eu não coloco playlist em uma resenha de algum livro que eu li aqui no blog. Mas, eu não sei bem o por quê, ''Fani na Terra da Rainha'' pedia uma. Acho que, de uma forma bem indireta, a música está tão impregnada na vida da Fani quanto os filmes (e eu realmente acho que esta seria uma ótima idéia para uma próxima série da Paula Pimenta...). Esta música, ''The One That Got Away'', ficava tocando no fundo da minha cabeça sempre que eu começava a ler a história, e - no final, eu entendi a razão. De uma forma bem estranha, a letra conseguia falar tanto da ''antiga vida'' da Fani, quanto da ''nova'' (sem falar que a melodia é a cara da Dona Estefânia! Rsrs).
.
Se você já leu o livro e conhece a música, preste bem a atenção na dela... Se não conehece, tá esperando o quê para passar no Vagalume?! Por muito tempo eu fiquei me perguntando se a Katy Perry não soube, de alguma forma, da história de ''Fazendo o Meu Filme 2'', e mesmo que esta seja uma idéia bastante ridícula, este é um caso perfeito de uma música que complementa com maestria a história do livro.
.
TÍTULO: Fani na Terra da Rainha
SÉRIE: Fazendo o Meu Filme
PÁGINAS: 328
AUTOR(A): Paula Pimenta
EDITORA: Gutenberg
NOTA: 9,0

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...