segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Resenha: Beijar e Contar

.
''Na Minha Estante'' Assegura: A resenha a seguir está completamente livre de Spoilers... Leia sem Moderação e divirta-se!
.
Sinopse:
.
Era a última chance.
.
Para se livrarem de uma reprovação eminente, seis colegas de turma tiveram de fazer um trabalho em grupo sobre a adolecência. A saída foi falar de suas próprias vidas. Cada um contou de forma bem-humorada as confusões mais marcantes por que passaram.
.
Teve história de separação de pais, de drogas, de primeira transa, de primeiro amor... Uma confidência mais divertida e inusitada que a outra. Trabalho entrega, agora era segurar a ansiedade e esperar pelo boletim.
.
O Que eu Achei?
.
Sabe aqueles dias em que você está cansado de ler histórias sobre garotas excluídas/populares/introspectivas, que de uma hora para outra se apaixonam por aquele carinha que é super introspectivo/popular/misterioso/bad-boy, e que isto gera uma série de consequências que precisam ser solucionadas antes das últimas páginas? Bom, eu estava nesta fase.
.
Aconteceu mais ou menos no fim do mês passado, um pouco antes da Bienal. Eu precisava correr com as minhas leituras, mas todos os livros na minha pilha pareciam ser extremamente ''iguais'' - sei que não são, mas eu estava em uma crise clássica de ressaca literária, e aquele era o pior momento em que ela poderia ter aparecido. Foi quando eu me lembrei de um livro fininho, que eu tinha comprado um pouco antes de entrar em Rehab, e que tinha sido completamente esquecido em meio à minha lista gigantesca de espera. Não perdendo tempo, peguei o meu ''Confidências, Confusões e... Garotas!'', do Gustavo Reiz, e comecei a ler na mesma hora. E só consegui largar o volume quatro horas depois, assim que terminei a última página.
.
E isto me surpreendeu. Para quem me conhece, sabe que eu sou MUITO lerdo na leitura - até com livros considerados 'finos'. E eu tinha terminado ele em apenas uma sentada, durante uma manhã chata de domingo.
.
Pisando em cima das minhas baixas expectativas, os protagonistas criados pelo autor não só ganharam a minha simpatia como também me identifiquei com eles em vários momentos. O mais legal do livro é que, como ele é narrado em forma de ''flashbacks'', cada personagem ganha a sua vez na narrativa. Tem o pegador, o nerd, o romântico, o palhaço... Cada um com sua característca, mas todos com experiências que fazem você se lembrar dos anos dourados da adolescência. Eu, por exemplo, me lembrei de várias situações parecidas. Sei que pode parecer estranho, mas só naquele momento eu percebi como estava sentindo falta de uma narrativa idiota, transbordando sexismo e testosterona.
.
Estes fatores podem parecer suficientes para afastar qualquer garota sã da leitura, mas este não é o caso. Pois, além dos relatos dos garotos, nós também temos as reações das meninas do grupo - e é muito engraçado ver os comentários delas dos causos mais cabulosos enfrentados pelos amigos. Pois estes caras com certeza passaram por tudo... Primeira vez, a primeira paixão, o alistamento militar, a separação dos pais, gravidez na adolescência, entre outras coisas. Mesmo quando toca em assuntos mais ''sérios'', a escrita do Gustavo é tão leve que - mesmo você sabendo a consequência daqueles atos - você não sente o peso da ''moral da história'' apagar o brilho da leitura.
.
Com uma narrativa ágil, Gustavo Reiz não só fez um livro que todo garoto deveria ler, mas que todo adolescente, jovem ou adulto deveria se deliciar. Como a Thalita Rebouças disse no prefácio, ''É aquele tipo que não quer te ensinar nada. (...) mas é tão gostoso que vai parecer que você está conversando com os personagens''. E eu realmente gostei de conversar com eles! '')
.
Meu Quote Favorito
.
''Quando cheguei pertinho, ela deu uma ba-baforada, soltando a fumaça toda no meu rosto. Co-comecei a tossir.
     - Você sabe o que isto significa, bonitão? - perguntou ela, sedutora.
     - Que... que ci-cigarro faz mal para sa-saúde? - respondi, ainda tossindo.
     - Quando a mulher solta a fumaça no rosto de um homem significa que ela está querendo algo a mais.
     - Ah é? - O que ela queria di-dizer com aquilo? - Vo-você quer um cinzeiro?''
Página 107
.
''Eu realmente precisava ir a essa festa, não queria ficar longe de Sara. Ela tinha terminado um namoro naquela semana, acabaria fazendo besteiras de tão impulsiva que é. Algum cara podia se aproveitar do momento de carência dela e... não, não gostava nem de pensar nessa possibilidade. Eu tinha de estar lá. E, óbvio, aquele momento de fragilidade era também uma oportunidade para rolar algo. Se alguém tivesse que se aproveitar, esse alguém era eu!!! Com todo o respeito, é claro.''
Página 143
.
''- Eu acho que estou grávida! - anunciou Fernanda, aflita.
   - É o quê?!
   - Isso mesmo que você escutou! Minha menstruação está mais do que atrasada, e nem sinal de que vai aparecer.
   (...)
   - Médico. Você não foi nem médico? - perguntei apreensivo.
   - Como? Se o meu ginecologista é meu pai?!
   Ter o próprio pai como Ginecologista é, no mínimo, desconfortável. Que idéia mais absurda essa da Nandinha!''
Página 186
.
Surpresa!
.
Foi isto mesmo o que vocês leram: Esta resenha tem surpresa!!! Quem comentar aqui na resenha do livro do Gustavo Reiz vai concorrer, até o dia 1º de Outubro, à três cards-marcadores de ''Confidências, Confusões e... Mais Garotas!'', o segundo volume da série. Não precisa twittar, dizer frase marcada, nem nada do tipo... Só ser seguidor do blog e comentar! Boa sorte...
.
TÍTULO: Confidências, Confusões e... Garotas!
SÉRIE: Confidências, Confusões e... Garotas!
PÁGINAS: 229
AUTOR(A): Gustavo Reiz
EDITORA: Rocco
NOTA: 8,0

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...