quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Especial: XV Bienal do Livro - Parte I

.
Estou à três dias tentando imaginar como fazer este post, mas até agora estou meio perdido. Até por que, em apenas dois dias de Bienal (os dias em que eu pude comparecer ao evento) aconteceu muita coisa... Então, como relatar a minha experiência sem deixar de fora nenhum detalhe importante?! Acho que, mesmo se eu tentasse MUITO, não daria para dizer tudo. A Bienal do Livro é uma experiência que precisa ser vivida, não tem como exemplificar em palavras tudo o que um Bookworm sente ao entrar naqueles portões. É um momento mágico, como se você estivesse vendo Nárnia pela primeira vez; Como se sua carta de Hogwarts tivesse acabado de chegar... Ou como se você fosse Rebecca Black, e todo dia fosse Sexta-Feira.
.
É, exemplo muito Fail!
.
Mas, parando um pouco com a ''palhaçada'', o meu final de semana só realmente começou às 09:00 da manhã do dia 03, sábado, quando eu caminhei pelo gramado frontal do Riocentro em direção à entrada do primeiro pavilhão. A mágica já começa à partir daí, quando você encontra outras pessoas como você, que estão tão anciosas quanto você para se ver de frente à uma infinidade de brochuras e massos de papel e tinta. Neste primeiro dia, eu contei com a ótima companhia das blogueiras Vivi, Evellyn, Nath Souza e a Lisse Cunha.
.
Todos nós, enquanto os portões da Bienal ainda não abriam 
.
Já na fila da Bilheteria...
.
Quando deu 10 hrs da manhã, enfim a entrada foi liberada - e a nossa jornada começou. Assim que passamos pela roleta, ficamos na dúvida se íamos logo pegar a senha para a sessão de autógrafos da Alyson Noël no stand da Editora Intrínseca ou se passávamos no stand da Novo Conceito e garantíamos o nosso lugar na fila da Emily Giffin. Graças à mediação da Vivi, decidimos passar primeiro na Novo Conceito - que além das senhas, estava com uma mega promoção, onde distribuía livros do seu catálogo totalmente na faixa em horas pré-determindas via Twitter.
.
As meninas saindo do stand da Novo Conceito
.
Logo depois, decidimos ir para o stand da Intrínseca e vermos se ainda dava para conseguir a ficha para a sessão de autógrafos. Apesar da fila inicial, a distribuição de senhas na editora estava bastante tranquila e nós conseguimos as nossas senhas para o encontro com a Alyson Noël sem nenhuma preocupação. Aproveitando que nós já estávamos no espaço da editora, fizemos algumas compras e ainda por cima nos sobrecarregamos de marcadores! (Rsrrs).
.
A movimentação logo cedo no stand da Intrínseca
.
Painel dedicado à série ''Os Imortais'' - com destaque para ''Infinito''
.
Painel dedicado à ''Trono de Fogo'', novo livro de Rick Riordan
.
Depois de garantir a nossa entrada nas duas sessões de autógrafos, fomos conhecer a feira. A Bienal ocupa três pavilhões inteiros do Riocentro, e mais da metade das editoras do país contam com stands por lá. É difícil dizer por quais stands nós passamos no dia 03, mas eu garanto que foram muitos. Entre eles, nós conhecemos o espaço da Editora Moderna, que abriga os selos da ID, Objetiva, Suma de Letras e outros, e que estava com super promoções e descontos de seus livros. Nath e eu fizemos a festa por lá, e no próximo ''Meu Carrinho'' com certeza vocês poderam conferir o que eu comprei por lá... Enfim, além da Editora Moderna, nós passamos bastante tempo também no stand da Rocco. Apesar da fama que tem, vários livros lá també estavam em promoção, incluindo o lançamento ''Wicked Lovely: Terrível Encanto'' - o que me faz ressaltar que, ao contrário da edição anterior, a Bienal deste ano está realmente com preços ótimos.
.
Além disto, eu aproveitei a Bienal para fazer um agrado para a família e para os amigos. Foi neste momento em que eu acabei me desgrudando do grupo - o que me fez ficar perdido no meio da Bienal. Para completar a cena, ainda houve uma breve queda de luz em todo o Riocentro, me deixando mais desorientado ainda. Só que, como até o mais querido por Murphy tem seus minutos de sorte, eu acabei encontrando todo mundo no stand da Submarino, o que nos deu a oportunidade para descandar um pouco os nossos braços e nossas pernas...
.
Seção dedicada á série ''Jogos Vorazes'', no stand da Rocco
.
Estante para a série Harry Potter.
.
No stand da Submarino, eu (e minhas sacolas) aproveitamos para descansar
.
Após uma merecida pausa para o almoço, fomos ao encontro dos autores nacionais que estavam no dia 03 no Riocentro. Nossa primeira parada foi no stand da Subtítulo. Lá nós encontramos a simpática Camila Nascimento Silva, autora de ''Você Tem Meia Hora'', que veio direto de Londres só para a Bienal do Livro. Passamos muito tempo por lá, e quando estávamos saindo, encontramos as blogueiras Ana Paula Frazão e Dani Fuller.
.
Assim que saímos da Subtítulo, fomos direto para o espaço do Selo Brasileiro. Lá, para mim, foi um dos pontos altos do nosso sábado. Diversos autores do grupo estavam presentes no stand, e ganhamos MUITA coisa - como diversos marcadores, bottons e até mesmo camiseta! Foi no stand também que aconteceu um dos momentos mais engraçados do dia, quando a Liana Cupini, autora de ''Estigmas da Luz'', me confundiu com o Bruno, do blog ''Minha Estante'' (Saba como é, garotos, nomes de blog parecidos...). Ela só percebeu a confusão alguns minutos depois, e isto foi motivo de muita risada!
.
Minha foto com a Camila Nascimento Silva, de ''Você Tem Meia Hora''
.
Nós, Camila e as blogueiras Ana Paula e Dani Fuller, no stand da Subtítulo
.
Muita bagunça com a turma do stand do Selo Brasileiro
.
Eu e Liana após o espisódio ''Henri vrs. Bruno'' Rsrsrs
.
Depois de muito bate-perna, finalmente decidimos ir para a fila de autógrafos. Tanto para a sessão da Alyson Noël quanto para a sessão da Emily Giffin estavam lentas e gigantescas, então ficamos em um vai-e-vem interminável. Entramos, saímos, demos varias voltas, fomos no stand da Underwolrd (MUITO legal, diga-se de passagem), e nenhuma das filas andavam. Neste tempo, em plena fila da Intrínseca, trocamos marcadores com outros blogueiros, e acabamos conhecendo a Malu, do blog Word, Books, World.
.
Por fim, acabou que a espera para o encontro com a Emily Giffin foi menor, então deixamos o Pavilhão Azul e fomos para o Verde. Nem preciso dizer o quão fofa a Emily é... Conversou com todo mundo, brincou com o nosso grupo, autografou, tirou fotos, elogiou o meu figurino, achou que eu e a Vivi erámos casados, deu a sua caneta para a Ana Paula - tudo o que queríamos e muito mais. Passada a euforia pelo nosso breve bate-papo, voltamos para o Pavilhão Azul e, obviamente, o fim da fila da Alyson Noël. Mesmo depois de assinar mais de 900 livros, a autora foi simpática com todos - e assinou não só o meu livro, como o da Pri, do blog Viaje na Leitura, e também o que eu comprei de presente para a minha amiga, com direito a mensagem de aniversário e tudo.
.
Meu encontro com a fofa da Emily Giffin
.
Malu, Nath, eu e Evelyn estirados na fila para a Alyson Noël
.
Minha foto com a Alyson Noël (Ro, ro, ro... -q)
.
Após quase 10 horas inteiras dentro do Riocentro, nós enfim voltamos para casa. Vivi ainda achou uma brecha para um rápido bate-papo com o Leandro Schulai, autor de ''O Vale do Anjos'', mas à essa autura eu já estava exausto. Estava pensando seriamente em não ir de novo no domingo. As meninas planejavam que horas iriam para a fila da Hilary Duff, e eu só pensava na minha cama. Mas, quando cheguei em casa, meus planos de descanso foram por àgua abaixo. Meus amigos exigiram a minha presença no dia seguinte, e eu não tive como dizer não... Resultado? Lá estava eu de novo no Riocentro, às 10 da manhã do dia 04.
.
Aproveitei a oportunidade e dei de presente de aniversário adiantado o livro autografado pela Alyson Noël para a minha amiga Natália. Ela se emocionou bastante, e isto me deixou bastante feliz. Ao contrário da Evellyn, da Malu e da Vivi, que planejavam tentar ir no encontro com a Hilary Duff, meus amigos e eu queríamos algo mais calmo. Natália conduziu a gente para stand mais ''traquilos'' (ênfase nas aspas, já que stand tranquilo é algo que não existe na Bienal), então passamos bastante tempo no espaço da Martin Claret e da L&PM. Apesar da nossa breve busca pelos clássicos da literatura, eu acabei dando uma escapadinha do nosso ''programa cult'' e fomos mais uma vez no stand da Underwolrd, além de outras editoras que eu não tive oportunidade de visitar no sábado.
.
Eu e o Maior Livro do Mundo (Que, por acaso, é O Pequeno Príncipe)
.
William + Natália e o Beijo Francês...
.
Menssagem de Richelle Mead para os fãs brasileiros no stand da Agir
.
Natália e a Pipoca de Ouro (Piada Interna... Rsrrs)
.
Apesar da minha segunda visita à Bienal ter sido mais ''rápida'' do que a primeira, eu estava tão cansado quanto. Mas, mesmo estando muito cansado, eu não conseguia conter a minha felicidade. O final de semana havia sido mágico, com um dia completamente diferente do outro - mas igualmente satisfátório. Ainda dou bastante risada quando me lembro de Natália, William e eu nos escondendo no stand da Saraiva quando os fãs de Hilary Duff descobriram que ela já estava no Riocentro (acreditem, parecia arrastão! O.O'). E são de momentos assim que este evento é feito. Por isso que, se você tem a oportunidade de ir, e ainda não foim eu te pergunto: O que está esperando?! Este é um evento que te marca por uma vida inteira, e cada edição consegue ser completamente distinta da anterior. É por isso que agora me preparo para mais uma dose de aventuras no sábado, dia 10.
.
Nos vemos lá! *-*

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...