terça-feira, 31 de maio de 2011

Resenha: Uma Carta com Amor...

 .
''Na Minha Estante'' Assegura: A resenha a seguir está completamente livre de Spoilers... Leia sem Moderação e divirta-se!
.
Sinopse:
.
Nicholas Sparks, autor número 1 de best-sellers, traz agora uma história inesquecível de um jovem que tem que tomar a decisão mais difícil de sua vida, em nome de seu grande amor.
.
“Querido John”, dizia a carta que partiu um coração e transformou duas vidas para sempre.
.
Quando John Tyree conhece Savannah Lynn Curtis, descobre estar pronto para recomeçar sua vida. Com um futuro sem grandes perspectivas, ele, um jovem rebelde, decide alistar-se no exército, após concluir o ensino médio. Durante sua licença, conhece a garota de seus sonhos, Savannah. A atração mútua cresce rapidamente e logo transforma-se em um tipo de amor que faz com que Savannah prometa esperá-lo concluir seus deveres militares. 
 .
Porém ninguém previa o que estava para acontecer, os atentados de 11 de setembro mudariam suas vidas e do mundo todo. E assim como muitos homens e mulheres corajosos, John deveria escolher entre seu país e seu amor por Savannah. Agora, quando ele finalmente retorna para Carolina do Norte, ele descobre como o amor pode nos transformar de uma forma que jamais poderíamos imaginar.
.
O Que eu Achei?
.
Antes de tudo, devo confessar uma coisa: Eu nunca, em todos estes meus 21 anos (que já, já viram 22), pensei em ler algum livro escrito pelo Nicholas Sparks. Eu lia resenha atrás de resenhas sobre como suas histórias eram lindas, de como elas tinham um alto potencial para fazerem os seus leitores chorarem e etc., e tudo o que eu pensava era: ''Legal... Mas isto não é para mim''.
.
Tudo bem, não vou negar e dizer que não tenha visto ''Diários de Uma Paixão''... Mas, faz tanto tempo que eu nem me lembro mais como é a estória - só que o nome do protagonista era ''Noah''.  Para se ter uma idéia do tamanho da minha ignorância quando o assunto em questão era ''Nicholas Sparks'', até pouco tempo atrás eu achava que ''P.S Eu te amo'' era dele. E - como a maioria deve estar cansada de saber - é claro que não é.
.
Então, como eu cheguei à ''Querido John''?
.
Bom, a única coisa que eu posso dizer é que foi tudo culpa da minha irmã. Geralmente, aqui em casa, quem compra os livros sou eu, e quem pega emprestado para ler é ela. Só que, no caso de ''Querido John'', quem comprou foi a minha irmã... Em dois dias ela devorou o livro e, durante quase um mês, ficou fazendo campanha para que eu o comprasse - pois a história era linda, e triste, e que eu não iria me arrepender (reparem  no detalhe que ela, em nenhum momento, falou em me emprestar o livro).
.
Só que eu tenho que confessar mais uma coisa (acho que já estou ficando craque nisto...): Eu não li ''Querido John'' assim que o comprei. Em parte foi culpa da minha lista - intermiável - de leitura. Mas, no fundo, eu estava com medo de ler, não gostar e ficar com raiva do livro e do autor (vide o meu caso com ''Cidade dos Ossos''). Porém, como a minha irmã já tinha me assegurado, isto não aconteceu.
.
E, tenho que acrescentar, eu terminei a minha leitura gostando muito mais do livro do que julgava ser capaz.
.
Um dos meus grandes medos era que, pelo livro ser narrado pelo John (que é um militar, ex-rebelde sem causa e blábláblá), eu não acabasse me apegando tanto à narrativa. E este ''medo'' meio que perdurou pelas primeiras páginas do romance - já que é uma parte meio lenta e é quando ele conta um pouco sobre a sua vida antes da estória em si, com os tempos de escola e o que fez ele entrar para o exército... Só que esta minha ''antipatia inicial'' logo foi embora quando o John conhece a Savannah, e tudo começa à entrar nos eixos.
.
O romance dos dois é o que impulsiona o livro, e - em parte - a minha curiosidade maior e o que me fazia ler página por página durante os três dias em que me dediquei à ''Querido John'' era em saber em como a Savannah iria reagir aos acontecimentos ''impostos'' pela vida, e não o John (Detalhe que vou tentar explicar melhor no tópico ''Quem me Conquistou?'').
.
Sei que pode parecer um tanto ''sexista'', mas não achei que a escrita do Nicholas Sparks fosse tão ''delicada'' quanto ela é. Acreditem, não estou falando mal da sua narrativa - muito menos tentando fazer alguma gracinha em cima disto - mas não é muito comum ver muitos escritores do sexo masculino com tamanha sensibilidade e ousadia para contar tão bem os pequenos detalhes da vida sem soar de forma pretenciosa quanto ele.
.
E acho que é por isto que o Nicholas tem tantos fãs... Mesmo com histórias que poderiam ser classificadas como ''simplistas'', ele consegue transmitir não só a beleza de um relacionamento, como também a magia do dia-a-dia - nos aproximando de seus personagens como se eles fossem nossos amigos de infância.
.
E, depois de ''Querido John'', acho que também acabei virando fã dele.
.
Quem Me Conquistou?
.
Mesmo antes de ler o livro, eu já sabia que a ''Savannah'' não era - exatamente - uma personagem muito querida. Na verdade, em alguns momentos do livro, eu realmente fiquei com raiva dela e entendi por que tanta gente à odiava... Mas, sem sombra de dúvida, foi por causa dela que eu continuei e terminei de ler o livro. A história em si gira em torno dos sentimentos do Jonh por ela - em como a história dos dois começa, se desenvolve e segue o seu próprio rumo - e foi por causa dela que o Jonh se torna uma pessoa melhor, um detalhe que o próprio narrador reconhece. Por isso que acho meio impossível acabar gostando do livro sem gostar um pouquinho dela (mesmo que seja só um pouquinho mesmo).
.
Mesmo repleta de defeitos, e de ter sido fraca quando não deveria, a Savannah tem uma personalidade doce e carismática. Teve um ponto do livro em que eu me lembro que eu gostaria de ficar bravo com ela, só que - assim como o John - eu acabei me esquecendo de fazer isto. E, quando acabei de ler os últimos parágrafos da história do casal, as minhas lágrimas e a minha tristeza por tudo o que havia acontecido era tanto por ele quanto por ela.
.
Meus Quotes Favoritos
.
'' (...) No tempo que passamos juntos, você conquistou um lugar especial no meu coração, que eu vou levar comigo para sempre e ninguém pode substituir. Você é um herói e um cavalheiro, você é gentil e honesto, mas, acima de tudo, você é o primeiro homem que amei verdadeiramente. E não importa o que o futuro traga, você sempre será, e sei que minha vida é melhor por causa disso.''
.
página 192
.
''- Eu te amo, Savannah, e sempre vou te mar - murmurei. -Você é a melhor coisa que já me aconteceu. Você foi a minha melhor amiga e minha amante, e não me arrependo de um só momento. Você fez eu me sentir vivo de novo, e acima de tudo, você me deu meu pai. Nunca vou esquecer disso. Você sempre será a melhor parte de mim. (...)''
.
página 270
.
Minha Playlist
.
Música: Flightless Bird, American Mouth - Artista: Iron & Wine
.
Não vou me explicar muito - já que, se eu traçar qualquer paralelo entre ''Querido John'' e ''Flightless Bird...'', toda a história do livro já vai ser revelada. Mas, se você já leu o livro e - por acaso - conhece a música, com certeza vai entender o por quê de eu ter escolhido esta música como o tema da resenha.
.
ps: Só de me lembar dela já sinto um nó na garganta...
.
TÍTULO: Querido John - O que você faria com uma carta que mudasse tudo?
TÍTULO ORIGINAL: Dear John
PÁGINAS: 287
AUTOR(A): Nicholas Sparks
EDITORA: Novo Conceito
NOTA: 8,5

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...