quarta-feira, 2 de março de 2011

Lista: Meus Ecritores Favoritos

Sei que só agora que eu percebi, mais à muito tempo eu não faço uma ''lista'' aqui no blog. Por isso, aproveitando que estou por aqui, com muito tempo livre (Recesso de Carnaval! *-*) e que eu entrei  no clima de ''listar as coisas'' depois de terminar o ''Valentine Princess'', da Meg Cabot (nossa próxima resenha), resolvi postar mais uma - mas desta vez, com os 10 escritores que não podem faltar na minha estante!
.
10°: Stephenie Meyer
.
Tudo bem, podem me chamar de louco e o que mais quiserem - podem até rirem de mim, mas eu me identifico MUITO³ com essa mulher. Ela é uma broaca bipolar? Sim. Ela só sabe prometer coisas, e nunca cumpre? Sim. Vira e volta ela vive dando uns ''tapas na pantera'' quando esta escrevendo algumas coisas? Sim, não nego. Porém, assim como eu, ela ''passa o tempo'' inventando histórias que nunca serão escritas - sem falar que foi com ela que eu aprendi a gostar de ler livros com romance. A imagem dela atualmente está ultra desgastada devida a super-exposição midíatica da ''Saga Crepúsculo'', mas nem só de vampiros teens porpurinados vive esta mulher - que o diga o ótimo e amadurecido ''A Hospedeira'', e o recente e inesperado ''A Breve Segunda Vida de Bree Tanner'' (tá, ele faz parte da Saga Crepúsculo... mais é do ponto de vista do ''lado negro'' da série, ou seja, é tudo mais real e menos ''endeusado'' que os delírios e orgamos visuais da Bella ''Rainha das Songa-Mongas'' Swan).
.
9º: Becca Fitzpatrick
.
Como alguém com apenas dois livros publicados (sem contar um conto em uma antologia de Romance Sobrenatural) pode entrar em uma lista de ''Escritores Favoritos''? Simples: Junte ''anjos caídos'' + um ''bad boy apaixonado pela nerd sensata'' + uma pitada de mistério ao melhor estilo thriller policial e, pronto, temos Becca Fitzpatrick. Esta ex-enfermeira que resolveu contar histórias tem um estilo de escrita maravilhoso de se ler - prova disto foi o tempo recorde em que li cada livro assinado por ela, para não falar nos personagens cativantes que criou. Por isso Becca pede espaço na minha lista, e me faz contar os dias (ou meses, para ser mais exato) para o lançamento do seu terceiro livro: Silence.
.
8°: Eduardo Spohr
.
Se Becca Fitzpatrick entrou na lista com apenas 2 livros, o que eu posso dizer de um cara que simplesmente escreveu o seu nome na minha testa com apenas METADE de um único romance? Pois, sim, ainda não acabei de ler o meu ''A Batalha do Apocalipse'', mas nem por isto eu deixo de ver toda a genialiade que borbulha na mente brilhante deste homem com sobrenome esquisito. Para mim, é inegável dizer que ''A Batalha'' é um verdeiro divisor de águas no cenário da literatura nacional. E, fala sério, tem como não ser fã de um nerd assumido que teve a maravilhosa idéia de excrever um volume de Fantasia Épica que tem cenas no Brasil, em clima apocalíptico e com anjos como protagonistas? É, eu acho que não...
.
7°: C. S. Lewis
.
Eu não poderia deixar de falar de um homem que me insinou a voltar a ser criança no auge dos meus 18 anos. Clives Staples Lewis morreu muito antes de eu pensar em nascer, mas suas histórias atravessaram anos e me atingiram como se tivessem acabado de serem escritas. Não foi só a fantasia de Nárnia ou a ficção-futurística da Trilogia Espacial que me conquistaram... foram as mensagens repassadas através delas que me fizeram criar um carinho enorme pela forma de escrever de Lewis. Mesmo sabendo o que acontece com o país criado a partir da canção de Aslam em ''A Última Batalha'', eu ainda hoje espero que um portal se abra em algum lugar... Só para eu poder ver, por mais rápido que seja, o lugar onde animais sabem falar e que as crianças são os verdadeiros heróis.
.
6°: Marcus Zusak
.
Como alguém pode ter o dom de contar histórias tão lindas com palavras tão sujas? Pois, sim, os personagens de Markus Zusak são verdadeiros heróis da vida real, mas isto não impede que eles tenham o vocabulário nada aconselhável de um velho estivador. Acho que nunca chorei tanto com um livro como chorei com o surpreendente ''Eu sou o Mensageiro''... E nunca esperei tanto por um (triste e de partir o coração) beijo, como em ''A Menina que Roubava Livros''. Mas o mais engraçado é que, mesmo contando histórias tão delicadas, Zusak nunca poupou palavras para narrá-las. Sou fã de carteirinha deste cara!
.
5°: Rick Riordan
.
Este faz parte do grupo ''Não dava nada por ele, mas paguei com a língua...''. Quando o livro ''O Ladrão de Raios'' foi lançado por aqui em novembro de 2008, eu não tinha curiosidade alguma. Sério! Eu via marca-páginas, Busdoors, posters nas livrarias, mas não me atraia nem um pouco. Três meses depois, quando eu não tinha nada para ler no momneto, resolvi dar uma chance para o título - afinal, estava apenas 20 reais na finada livraria perto da minha casa. Resultado: Quase me espanquei até a morte por ter esperado tanto tempo para o ler. Rick é sagaz com as palavras, suas histórias tem um rítmo INCRÍVEL, e você não se cansa da sua narrativa. Por isso eu nunca me cando de repetir... ''Rick, quero ser como você quando eu crescer!''.
.
4°: Richelle Mead
.
Esta é outra que que fazia parte do meu seleto grupo ''Não dava nada por ele, mas paguei com a língua...''. Quando descobri a existência da série ''Academia de Vampiros'', aka VA, a primeira coisa que pensei foi: Blergh, parece Twilight encontrando Harry Potter! É sério, não atirem pedras em mim, mas foi o que eu pensei na época... Conforme o tempo passava, mais resenhas eu lia sobre ele e mais comentários positivos me surpreendiam. A contra gosto, comprei ''O Beijo das Sombras'' e... NÃO CONSEGUI LARGAR. Mead é, sem sombra de dúvidas, uma mestre da fantasia. Para cada livro que cria, ela pesquisa e reinventa por completo a mitologia - a deixando totalmente crível e sem cair no risível (oi, tia Steph?). Rose é uma das protagonistas femininas mais marcantes que eu já tive a oportunidade de ler, e depois do eletrizante ''A Canção do Súcubo'' (eu o li em apenas 3 dias!), Richelle subiu muuuuuitas posições no meu ranking.
.
3°: Meg Cabot
.
Essa daí dispensa apresentações... Autora de mais de 60 títulos (desde juvenis, passando por infantis, chegando até a adulta), Diva Meggin me conquistou por ''A Princesa à Espera'' (4º livro da famosa série ''O Diário da Princesa''). Foi ela que me viciou em literatura Chick-lit (sim, eu confesso!), e - depois de conhecê-la pessoalmente na Bienal do Rio, em 2009 (*-*) - me tornei ainda mais fã dessa mulher, com uma personalidade tão fofa que te deixa simplesmente sem ação (é, eu congelei perto dela...). Uma verdadeira máquina de escrever, Meg Cabot passou a ser nome obrigatório na minha estante.
.
2°: Pedro Bandeira
.
Se foi uma britânica quem me ensinou a gostar de ler, esse cara aí me fez abrir os olhos para livros NACIONAIS.O que eu posso dizer sobre o Pedro? Bom, acho que dois títulos resumem muito bem o carinho que sinto por ele: ''A Marca de uma Lágrima'' e a série ''Os Karas''! O quê?! Você NUNCA leu nenhum dos dois? Nunca leu OS KARAS? Que os deuses da literatura Infanto-Juvenil tenham piedade de sua alma!
.
1°: J. K. Rowling
.
Sim, esta é SUPER clichê... Mas não tem como negar a influência que a Tia Jo tem na minha vida. Se antes eu lia por pura obrigação, depois de ''Harry Potter e a Câmara Secreta'' (sim, eu comecei a série pelo 2° livro =p) eu comecei a buscar livros por vontade própria. Tenho orgulho de gritar para os quatro cantos do mundo que faço parte da ''Geração Potter'', e agradeço todos os dias da minha vida por essa mulher ter me revelado o prazer da leitura... Me fazendo, também, perder o medo por ''livros grossos''. Thanks, Queen Jo!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...